Aqui, um pouquinho das palavras dos outros por onde passeio e me encanto. Muitos dos livros mais importantes da minha vida não estarão aqui presentes, porque esse é um projeto de novos. O que será encontrado neste lugar? Hojes. Toda sugestão é bem-vinda: É preciso um constante repasse das coisas belas.


The Perks Of Being A Wallflower – As Vantagens De Ser Invisível.

1 de março de 2016 por Camila em Entre Páginas

Há algum tempo atrás, eu fui ver uma amiga querida tocar na Funhouse (uma casa de shows aqui em São Paulo). Quando fui ao banheiro retocar o batom, vi – em letras trêmulas, vermelhas e incertas – uma frase escrita na porta. Dizia bem assim: ‘We accept the love we think we deserve’.

Por algum motivo, aquilo martelou o meu juízo e eu nunca mais parei de pensar no impacto que aquele escrito teve sobre mim: ’Nós aceitamos o amor que acreditamos merecer’, repetia a mim mesma em um silêncio cortante. Estava me recuperando de um coração partido, então fui criando mil teias de entendimento até correr no Google e descobrir que se tratava de um livro de título não menos inquietante: ‘The perks of being a wallflower’ (‘As vantagens de ser invisível’, aqui no Brasil). Doris Lessing uma vez disse que os livros dão um jeito de chegar até nós quando nós mais precisamos deles. Esse chegou três meses depois dessa noite na minha casa, e talvez quando eu de fato mais precisava.

Penso que seja bonito quando um autor rouba o seu coração de uma maneira tão suave, e consegue ser tão sutil, nostálgico, poético e delicado ao tratar de assuntos que não podem ser considerados necessariamente leves em todas as suas instâncias (como, por exemplo, as nossas transformações e a maneira com a qual lidamos com nós mesmos).

Para uma tarde de bronquite, leitura e chocolate são as melhores terapias. E assim, pensando bem aos poucos e construindo devagarzinho algum significado para aquela frase enigmática da porta de um banheiro qualquer que eu li já meio bêbada, a gente percebe que tem que desistir do amor que a gente conhece e deseja neste instante-já para abrir o coração para o amor que a gente merece, o que dói menos, o que faz sorrir de manhã e o que não nos faz sacrificar a nossa autoestima e os nossos valores. E sabe de mais? A gente tem que lembrar que ‘amar a nós mesmos não nos torna arrogantes, nos torna indestrutíveis’. Eu acredito nisso.

Obrigada pela sutileza desse momento, Stephen:

“(…) There is a feeling that I had Friday night after the homecoming game that I don’t know if I will ever be able to describe except to say that it is warm. (…) And finally he found this really amazing song about this boy, and we all got quiet. Sam tapped her hand on the steering wheel. Patrick held his hand outside the car and made air waves. And I just sat between them. After the song finished, I said something. ‘I feel infinite.’ And Sam and Patrick looked at me like I said the greatest thing they ever heard. Because the song was that great and because we all really paid attention to it. Five minutes of a lifetime were truly spent, and we all felt young in a good way. I have since bought the record, and I would tell you what it was, but truthfully, it’s not the same unless you’re driving to your first real party, and you’re sitting in the middle seat of a pickup with two nice people when it starts to rain.”

Eu não saberia como classificar essa obra de Chbosky. Esse livro não é sobre alguma coisa, não é uma estória de amor ou uma viagem interna pelo auto conhecimento. Não é sobre traumas ou anseios. Se eu for muito ambiciosa ao ponto de tentar responder a pergunta clássica do ‘e sobre o que é, afinal?’, eu diria que talvez seja sobre como escolhemos enxergar o mundo.

Esse livro me fez entender que às vezes nós realmente nos sentimos infinitos, mesmo sem que consigamos compreender muita coisa ou ter a dimensão exata do que está acontecendo: nós simplesmente sentimos o peso do momento, agimos sobre ele e tomamos a decisão de sermos melhores e mais leves, independente das nossas circunstâncias. Respondemos à vida com o que somos, não com o que tentaram fazer de nós.

– Minha resenha no GoodReads: https://www.goodreads.com/review/show/1527799509

– Interessou? Tem aqui: http://www.livrariacultura.com.br/p/the-perks-of-being-a-wallflower-2688329

...Enquanto isso, no banheiro da Funhouse.
…Enquanto isso, no banheiro da Funhouse.

 

Tarde de bronquite e terapias.
Tarde de bronquite e terapias.

 

Alguns dos trechos mais lindos que já li estão nesse livro. Portanto, post-its e anotações.
Alguns dos trechos mais lindos que já li estão nesse livro. Portanto, post-its e anotações.

 

Domingo: manhãs de luz e piquenique. ;)
Domingo: manhãs de luz e piquenique. ;)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>